Estudos sobre os desafios do Brasil para 2018 e 2019

Data de início:

Descrição

O objetivo deste projeto era produzir estudos, metodologias e software sobre os seguintes tópicos: (i) a reforma dos sistemas previdenciários estaduais e municipais; (ii) o impacto distributivo das reformas previdenciárias; (iii) o impacto de longo prazo das reformas previdenciárias no crescimento econômico; (iv) a judicialização caótica das políticas públicas; (v) o impacto social da abertura da economia; e (vi) a cooperação brasileira como uma forma de "soft power" que permite redimensionar as relações externas do país.

Parceiros

Brazilian Cooperation Agency , Secretariat for Strategic Affairs of the Presidency of the Republic of Brazil (SAE-PR) , United Nations Development Programme (UNDP) Brazil , Institute for Applied Economic Research (Ipea)

Região/País(es)

América Latina e Caribe

Brasil

Pilar Principal

Produção de Conhecimento

Área temática

Crescimento Inclusivo

Outras áreas temáticas

Proteção Social

Objetivos de Desenvolvimento Sustentável

ODS 1 - Erradicação da pobreza , ODS 8 - Trabalho Decente e Crescimento Econômico , ODS 9 - Indústria, Inovação e Infraestrutura , ODS 16 - Paz, Justiça e Instituições Eficazes

Resultados do Projeto

Em 2019, o IPC-IG e coordenadores parceiros concluíram este projeto, conforme estabelecido na carta-acordo com o PNUD-Brasil

Todos os 18 produtos foram entregues:

1. Projeções demográficas para os municípios brasileiros; 2. Probabilidades de entrada e saída do serviço público municipal; 3. Probabilidade de geração de pensão; 4. Projeções estruturadas da evolução dos Regimes Próprios de Previdência Social (RPPS); 5. Banco de dados integrando a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) com registros administrativos; 6. Metodologia Monte Carlo; 7. Estimativa da incidência tributária das contribuições previdenciárias; 8. Modelo ECG de simulação de longo prazo da previdência social; 9. Workshop para discutir as várias metodologias; 10. impactos distributivos da abertura econômica (regressão); 11. Construção de uma matriz de entradas-saídas estadual/micro-regional; 12. Impactos distributivos da abertura econômica (modelo ECG); 13. Modelo comum de coleta de dados e API; 14. Mecanismos de correlação e extração de dados; 15. Dicionário de práticas; 16. Workshop sobre cooperação internacional para o desenvolvimento; 17. Levantamento dos processos de responsabilização dos funcionários públicos federais; 18. Tipologia de processos.

Os produtos foram apresentados em uma série de workshops para discutir os resultados com especialistas convidados. O Comitê Diretor do projeto aprovou os resultados, que serão listados em uma área dedicada do site do IPC-IG, bem como catalogados na Biblioteca da Presidência da República.